Congresso Arquidiocesano

Congresso Arquidiocesano

Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Bahia

RCC Brasil

Moção, fruto da obediência


Porque é essa a ordem que o Senhor nos deu: "Eu coloquei você como luz para as nações, para que leve a salvação até aos extremos da terra" (Atos 13, 47).

"Vocês, porém, receberam a unção que vem do Santo, de modo que todos vocês possuem sabedoria" (I Jo 2, 20).
 
Mas ainda, prestem atenção! Vejam essa Palavra: "É preciso que vocês se renovem pela transformação espiritual da inteligência" (Ef 4, 23).
 
Irmãos, o Senhor disse e é importante entendermos que não somos mais os mesmos! Somos homens e mulheres batizados no Espírito Santo! Por isso, é necessário deixar que esse mesmo Espírito que recebemos transforme a nossa mentalidade, a nossa inteligência e conforme o nosso coração ao coração de Jesus, pois foi por meio desse batismo que as nossas vendas caíram; nossos olhos se abriram e conhecemos a plena verdade que é o próprio Cristo. O mundo não mais nos atrai. Temos hoje uma visão espiritual! Portanto, temos que entender e acreditar, que as tribulações, lutas, combates, muitas vezes, enfermidades, e tudo que estamos fazendo ou vivendo são oportunidades para honrar o nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
 
“Vocês acham que as trevas não lutam contra vocês filhos da luz?”
 
Por estarmos em uma linha de frente na intercessão, somos um alvo visível. Não seria diferente! O segredo é estar em constante intercessão. Lembrem-se: A sala do trono é o lugar mais seguro para o intercessor. Quando estamos intercedendo, estamos seguros. O intercessor vive a intercessão vinte e quatro horas. Não há o que temer ou se assustar se estamos em Cristo.
 
Tenho visto irmãos passando por lutas, provas, enfermidades; irmãos sofrendo as escondidas, outros até muito silenciosos, tudo isso é fruto de uma vida em santidade. O Senhor está conosco!
 
Estamos passando pela “transformação espiritual da inteligência”, e precisamos enxergar tudo isso com os olhos de oração, com os olhos de intercessão, se não for assim, seremos vencidos. O Senhor não quer mais nenhum dos seus filhos e filhas ficando pela estrada, ele quer as cem ovelhas e não apenas às noventa e nove. Significa que devemos ir atrás da que faltou. Lembra?
 
"Vocês necessitam apenas de perseverança, a fim de cumprirem a vontade de Deus, e assim alcançarem o que ele prometeu" (Hb 10, 36).
 
O quanto o Senhor é capaz de realizar se deixarmos de nos preocuparmos e permitirmos sermos conduzidos por Ele. O quanto o Senhor é capaz de fazer, se pegarmos a Santa Palavra e orarmos com ela! O quanto o Senhor faz na vida daqueles que obedecem à moção Norte para cada tempo.
 
Não deixemos que esse espírito mudo venha impedir que as moções cheguem a cada Grupo de Oração. Muitas vezes, chegamos a lugares e irmãos não estão vivendo a moção, porque os líderes não a fizeram chegar. Queridos intercessores, muitos servos
 
estão doentes espiritualmente por desobedecerem. A palavra de Deus no livro de I Sm 15, 22 nos diz: “A obediência vale mais que o sacrifício” e tantas vezes ouvimos dizer que quem obedece NUNCA erra! É preciso, então, como intercessores e intercessoras, homens e mulheres de oração, que façamos a voz do Senhor chegar nos quatro cantos do nosso Grupo de Oração e, por meio dele, ver a palavra e a graça de Deus se cumprir na vida de todo um povo que é DELE, mas que a sua bondade confia a cada um de nós.
 
Diante de um tempo de tantas enfermidades, e não somente, enfermidades do corpo, mas também enfermidades da alma, o Amor, e só o amor cura! Corram às pressas e levem o anúncio! Declare HOJE a cura de toda paralisia espiritual, no nome de Jesus.
 
“Peço a vocês que mantenham as lâmpadas acesas”. Ninguém está sofrendo sozinho, porque intercessão é um só coração!
 
"Fiquem atentos e rezem todo tempo, a fim de terem força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficarem de pé diante do Filho do Homem" (Lc 21, 36).
 
 
Eric Batista Figueiredo 
Coordenador Estadual do Ministério de Intercessão - RCC Bahia 
 
 
 
INTENÇÕES PERMANENTES
 
 
1. Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelos Bispos, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos (as) e pelos Seminaristas;
 
2. Por todas as vocações, para que o chamado de Deus seja assumido com amor e fidelidade;
 
3. Pelos membros do Serviço Internacional para a Renovação Carismática Católica – CHARIS;
 
4. Pelos membros do Serviço Nacional de Comunhão CHARIS;
 
5. Pelo Presidente do Conselho Nacional, Vinícius Simões e sua família, e todos os membros do Conselho Nacional;
 
6. Pelas reuniões dos Conselhos Estaduais e Diocesanos;
 
7. Por todos os Grupos de Oração do Brasil;
 
8. Por todos os Ministérios da RCC em nível nacional, estadual, diocesano e de Grupo de Oração;
 
9. Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesanos, estaduais e nacional da RCC;
 
10. Pela casa de missão da RCCBRASIL no Marajó e pelos missionários e missionárias;
 
11. Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores;
 
12. Pelos eventos de evangelização da RCC no Brasil;
 
13. Pela situação política, econômica e moral em nosso País;
 
14. Para que cesse a violência no Brasil e no mundo;
 
15. Pela erradicação dos vírus causadores da Febre Amarela, Dengue, Zika e Chikungunya.
 
 
INTENÇÕES DO MÊS
 
 
- Pelo Encontro Nacional de Formação - ENF, 20 a 24 de janeiro de 2021;
 
- Pelo Congresso Online do Ministério para Crianças e Adolescentes, 18 a 20 de setembro;
 
- Pelo Retiro Online para Religiosas e Consagradas Celibatárias, 22 e 23 de setembro;
 
- Pelo fim da pandemia do Coronavírus no Brasil e no mundo;
 
- Pelo restabelecimento dos infectados pelo Coronavírus;
 
- Pelos profissionais da área de saúde.

Campanha Sentinelas Resgatando a Palavra



No mês dedicado à Palavra de Deus, todos os carismáticos do país são convidados a viverem a moção “Sentinelas Resgatando a Palavra”. Com duração de 30 dias, serão disponibilizados vídeos diariamente, no período da manhã, pelas redes oficiais da RCCBRASIL. A cada dia, um pregador de grupo de oração, representando cada estado do Brasil, irá pregar a Sagrada Escritura, promovendo assim um momento oportuno para se aprofundar na intimidade e oração com o Senhor.

 

Direção

 

As Escrituras dizem: “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho” (Sl 119,105).

A Palavra de Deus é alimento para a fé. Ela não volta sem ter produzido seu efeito, é capaz de transformar o interior do homem. Por isso, devemos orar com a Palavra de Deus nos Grupos de Oração. Pois, além dela ser a principal profecia, ela é o manual de fé e conduta do homem, inspirando-o a viver em santidade e louvando a Deus.

Que todos carismáticos do Brasil, em uma só voz, possam, na Leitura Orante da Bíblia, alimentar a fé e resgatar a sua identidade. Nos próximos 30 dias, divulgaremos vídeos para encorajá-los a alimentar a sua fé na Palavra de Deus! Compartilhe com os membros do seu Grupo de Oração, familiares, amigos e conhecidos para que a luz da Palavra ilumine todo o Brasil.

A pregação da Palavra deve nos apresentar Jesus Cristo, Senhor e Salvador, deve nos levantar e animar o nosso espírito. A pregação da Palavra de Deus carrega em si uma força de vida e de recriação.

Retirado do livro “Eu te Constituí Sentinela na Casa de Israel”.

Não ser indiferente a dor dos irmãos e levar a esperança

No mês de setembro todos são convocadas, de modo especial, a dar suporta as pessoas que sofrem não somente as dores físicas, mas também as dores da alma. Como cristãos somos convidados a redobrar a nossa atenção e cuidado aos irmãos, ouvir suas angústias, medos, sofrimentos e por eles interceder.
Muitas dessas pessoas abatidas por suas tristezas são incapazes de contemplar a sacralidade da vida e o brilho da esperança. Portanto, é nossa missão lembra-las da sua dignidade, levando esperança e não sendo indiferentes a sua dor.

Te convido a ler o parágrafo dois da encíclica Evangelium Vitae – “Sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana” – de São João Paulo II.

O valor incomparável da pessoa humana

O homem é chamado a uma plenitude de vida que se estende muito para além das dimensões da sua existência terrena, porque consiste na participação da própria vida de Deus.

A sublimidade desta vocação sobrenatural revela a grandeza e o valor precioso da vida humana, inclusive já na sua fase temporal. Com efeito, a vida temporal é condição basilar, momento inicial e parte integrante do processo global e unitário da existência humana: um processo que, para além de toda a expectativa e merecimento, fica iluminado pela promessa e renovado pelo dom da vida divina, que alcançará a sua plena realização na eternidade (cf. 1 Jo 3, 1-2). Ao mesmo tempo, porém, o próprio chamamento sobrenatural sublinha a relatividade da vida terrena do homem e da mulher. Na verdade, esta vida não é realidade “última”, mas “penúltima”; trata-se, em todo o caso, de uma realidade sagrada que nos é confiada para a guardarmos com sentido de responsabilidade e levarmos à perfeição no amor pelo dom de nós mesmos a Deus e aos irmãos.

A Igreja sabe que este Evangelho da vida, recebido do seu Senhor, encontra um eco profundo e persuasivo no coração de cada pessoa, crente e até não crente, porque se ele supera infinitamente as suas aspirações, também lhes corresponde de maneira admirável. Mesmo por entre dificuldades e incertezas, todo o homem sinceramente aberto à verdade e ao bem pode, pela luz da razão e com o secreto influxo da graça, chegar a reconhecer, na lei natural inscrita no coração (cf. Rm 2, 14-15), o valor sagrado da vida humana desde o seu início até ao seu termo, e afirmar o direito que todo o ser humano tem de ver plenamente respeitado este seu bem primário. Sobre o reconhecimento de tal direito é que se funda a convivência humana e a própria comunidade política.

De modo particular, devem defender e promover este direito os crentes em Cristo, conscientes daquela verdade maravilhosa, recordada pelo Concílio Vaticano II: “Pela sua encarnação, Ele, o Filho de Deus, uniu-Se de certo modo a cada homem”. De facto, neste acontecimento da salvação, revela-se à humanidade não só o amor infinito de Deus que “amou de tal modo o mundo que lhe deu o seu Filho único” (Jo 3, 16), mas também o valor incomparável de cada pessoa humana.

A Igreja, perscrutando assiduamente o mistério da Redenção, descobre com assombro incessante este valor, e sente-se chamada a anunciar aos homens de todos os tempos este “evangelho”, fonte de esperança invencível e de alegria verdadeira para cada época da história. O Evangelho do amor de Deus pelo homem, o Evangelho da dignidade da pessoa e o Evangelho da vida são um único e indivisível Evangelho.

É por este motivo que o homem, o homem vivo, constitui o primeiro e fundamental caminho da Igreja.

Catequese: A solidariedade e a virtude da fé

 

Na catequese de hoje, o Papa Francisco meditou sobre a solidariedade que é guiada pela fé, fruto do Espírito Santo que vem ao auxílio de toda a humanidade. Leia o resumo da reflexão.

---------------------

A pandemia atual evidenciou a nossa mútua interdependência de modo que, para sairmos melhores desta crise, é preciso que o façamos juntos, movidos pela solidariedade. O princípio da solidariedade é mais do que uma mera disponibilidade a ajudar os outros; tem seu fundamento no fato de que a família humana tem uma origem comum em Deus, todos moramos na casa comum e todos temos um destino comum em Cristo. Na Bíblia, há duas passagens muito elucidativas a este respeito: a Torre de Babel e a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes. No primeiro caso, a busca por alcançar o céu ignorando os laços com os seres humanos, com a criação e com Deus leva à ruína e à divisão, gerando desigualdades que enfraquecem o tecido social e deterioram o meio-ambiente. Já o Pentecostes, mostra-nos que é a descida do Espírito Santo que leva a comunidade a abrir as portas do Cenáculo e sair, criando harmonia. Na verdade, é a solidariedade guiada pela fé que nos permite traduzir o amor de Deus na nossa cultura globalizada, não construindo torres ou muros que dividem e caem, mas inspirando-nos numa unidade na diversidade e na solidariedade. Oferece-nos também os anticorpos da diversidade solidária, impedindo que a singularidade de cada um se perverta em individualismo egoísta e animando-nos a gerar novas formas de fraternidade fecunda e de solidariedade universal.

CHARIS realizará Encontro Nacional Online

Estão abertas as inscrições para o Encontro Nacional online do Serviço Brasileiro de Comunhão do CHARIS (SBCC). O encontro será no próximo dia 26 de setembro, das 15 às 18 horas, através das redes sociais. CHARIS é o organismo que une todas as expressões da “Corrente de Graça”,  a Renovação Carismática Católica mundial.

A participação é gratuita e a programação terá momentos de oração, louvor, pregação, entre outras atividades.

O tema escolhido foi retirado da liturgia eucarística da Igreja: “O amor de Cristo nos uniu”. Através dele, os organizadores ressaltam que o objetivo é refletir sobre um dos pilares da atuação do CHARIS: a promoção da unidade e a cooperação entre as comunidades.

Estão confirmadas as presenças de: Katia Roldi Zavaris, coordenadora nacional do SBCC; Vinícius Simões, presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL (Movimento Eclesial); Monsenhor Jonas Abib, fundador da comunidade católica Canção Nova e Padre Wagner Ferreira, também da Comunidade Canção Nova; Padre Marcelo Rossi; Padre Eduardo Dougherty, fundador da Rede Século 21; Gabriela Dias e Padre Silvio, Comunidade Shalom; Aluízio Nobrega, fundador da Comunidade Face de Cristo; Prado Flores e Ângela Chineze, Escola de Evangelização Santo André; Comunidade Hallel e Clenir Guimaraes, fundadora da comunidade católica Hallel; Dom Mario Spaki, Bispo referencial do SBCC; Jean-Luc Moens, moderador do CHARIS  INTERNACIONAL; além dos   Jovens carismáticos.

“É um encontro pensado com muito carinho para que possamos crescer na fé e no amor que gera comunhão”, disse a coordenadora nacional do CHARIS, Katia Roldi Zavaris.

 

Para se inscrever, basta acessar o hotsite:  encontro.sbccharis.com.br

 

-----------------------
Fonte: Comissão de Comunicação do SBCC

Conheça sete ensinamentos de Santa Teresa de Calcutá

 
Hoje, a Igreja celebra Santa Teresa de Calcutá. Uma mulher dos nossos tempos, com forte testemunho de caridade e dedicação ao próximo. Sua vida é marcada por atos de profundo amor e grandes lições. Te convido a conhecer sete ensinamentos dessa grande santa.

 

“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz”.

“É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado”.

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”.

“Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las”.

“O senhor não daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso”.

“Não é o quanto fazemos, mas quanto amor colocamos naquilo que fazemos. Não é o quanto damos, mas quanto amor colocamos em dar”.

“Seja fiel nas pequenas coisas porque é nelas que mora a sua força”.

Intimidade com a Palavra de Deus


  “Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra” esclarece o apóstolo Paulo na II carta a Timóteo 4,16.
 
      Também Santo Ambrósio nos ensina que “A Palavra de Deus é a substância vital de nossa alma. Ela a alimenta, apascenta e governa. Não existe outra coisa que possa fazer com que a alma do homem viva, a não ser a Palavra de Deus.” E ambos estão cobertos de razão! Como viver sem a Bíblia? Como conhecer o caminho que nos leva a Deus sem lê-la? Nossa intimidade com esta “CARTA DE AMOR” deve ser diária e contínua, pois como nos ensina o Catecismo da Igreja, no número 134: “Toda a Sagrada Escritura é um único livro, este livro é Cristo, fala de Cristo e se cumpre em Cristo.” e é a Ele que queremos, mais nada! Em nosso relacionamento com o Santo Livro, convido você a refletir sobre quatro verbos que devem nortear esta maravilhosa e primordial convivência:
 
CONHECER
 
Correlacionados a este importante verbo, que expressa a ação de proximidade com o Senhor, temos os verbos ESCUTAR, LER, COMPREENDER e MEDITAR
 
Para conhecer, é preciso se aproximar através da leitura, da compreensão e quando isso acontece o próprio Senhor, por meio da oração e da Palavra, fala conosco.
O cristão nunca é tão verdadeiramente cristão quanto quando ele fala e ouve a Deus. Não é a quantidade de palavras, mas a Palavra que tem o poder de mudar a história da nossa vida. A escuta da Palavra é encontro pessoal com o Senhor da vida, um encontro que deve traduzir-se em escolhas concretas e tornar-se caminho e seguimento.
 
AMAR
 
Sinônimos a este verbo tão bonito temos: RESPEITAR e OBEDECER.
Nosso amor a Deus e à sua Palavra deve levar-nos à escolha radical de possuir o Senhor como único bem e também de conservar as suas palavras como um dom inestimável, mais precioso que toda a herança e toda a posse terrena. O salmo 118,105 assim nos alerta: “Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho.” o amor do salmista pela Palavra nasce do respeito e obediência a ela, por desejar conservá-la no íntimo, meditando-a, precisamente como Maria, que a conservava em seu coração.
 
VIVER
 
No mesmo sentido desse, temos os verbos OBSERVAR e GUARDAR. A Palavra do Senhor será lâmpada para os pés se vivermos com ela em nós! Quanto mais tempo eu e você passamos com ela, mais luz teremos em nosso interior para tomar decisões. O Senhor e a sua Palavra: eis a nossa “terra”, na qual se deve viver na comunhão e alegria.
 
PREGAR
 
Ou seja, ANUNCIAR, PROPAGAR, para que Jesus seja conhecido e amado. O apóstolo Paulo exorta: “Prega a Palavra!” (cf. II Tm 4,2) e nos convoca a, como ele, levar a Boa Nova a todos, em todo tempo. O padre Raniero Cantalamessa, pregador da casa Pontifícia, nos ensina em seu livro “O Mistério da Palavra de Deus” que “Deus não tem boca e fôlegos humanos: sua boca é o profeta e seu sopro o Espírito Santo. Assim Ele nos disse através dos profetas: “Tu serás a minha boca” (cf. Jr 15,19) e “porei minha palavra sobre seus lábios” (cf. Jr 1,9). Com a vinda de Cristo, Deus não mais fala só através dos profetas, mas também com voz humana, perceptível ao ouvido. O VERBO foi visto e ouvido! Aquilo que se ouve não é palavra de homem, mas Palavra de Deus, porque quem fala não é apenas a natureza e sim a pessoa de CRISTO. Deus não fala mais de forma indireta, mas pessoalmente na pessoa de CRISTO! Por isso, na Palavra, encontremos O Cristo!
Que este breve texto nos ajude a refletir, de modo sério e comprometido, como anda nosso RELACIONAMENTO cotidiano com a CARTA DE AMOR que o próprio Deus nos escreveu.
Que Maria, nossa mãe amada, MULHER que acolheu e gerou a Palavra, seja a nossa guia e o nosso conforto, e como ela, pela INTIMIDADE COM A PALAVRA DE DEUS, Jesus se faça em nós!
 
 
Leandro Rabello
Coordenador Nacional do Ministério de Pregação RCCBRASIL