Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Bahia

RCC Brasil

Inscrições abertas para a Escola Arquidiocesana de Artes da RCC Salvador


A Renovação Carismática Católica da Arquidiocese de São Salvador da Bahia (RCC Salvador) realiza, através do Ministério de Música e Artes (MMA), a Escola Arquidiocesana de Artes. O encontro acontece nos dias 30/11 e 01/12 na Casa da Juventude, em São Marcos. Durante os dois dias, os participantes da Escola participarão de oficinas de teatro, palhaçaria e Workshops de: voz, instrumentos, dança, teatro, formação de música, além de pregações. No sábado, a Escola iniciará às 14h indo até às 18h. Já no domingo (01), das 07h às 17h.

De acordo com a coordenadora do MMA, Maiara Nascimento, a Escola tem como objetivo mostrar como a arte é capaz de transformar e evangelizar pessoas. “Além de aflorar o desejo e formar ministros para a arte. Ter a arte como parte do processo de evangelização é levar Deus a partir dos talentos que possuímos”.

Maiara Nascimento ressalta ainda sobre o chamado de Deus e a importância da presença dos ministros na Escola Arquidiocesana: “Deus vem preparando todo este ano, falando para nós que Ele quer fazer um novo para o Ministério. É um grande desejo que todos acolham esse novo de Deus. Os sonhos de Deus são maiores do que pensamos.”

Para participar da Escola, é necessário realizar a inscrição online com o preenchimento do formulário ou presencial com os representantes de setor do MMA. O valor da inscrição é R$ 25 (sem almoço) e R$ 35 (com almoço) e seguem abertas até o dia 20 de novembro.

Após preenchimento do formulário, para efetivar a inscrição o valor deverá ser depositado na conta abaixo:

Titular: Maiara Nascimento dos Santos

Banco do Brasil

Agência: 2014-1

Conta Poupança: 45001-4

Operação: 51

Link para inscrição: 


Os 4 graus de amor no casamento, segundo São Bernardo Claraval

Em que nível está seu casamento? Como você pode trabalhar para conquistar um relacionamento feliz e duradouro?

Às vezes eu me pergunto se a maneira como escrevo sobre casamento tem um tom de falsa esperança. Costumo descrevê-lo como um caminho para a felicidade que nos leva ao limiar do Céu. E isso é verdade. Eu acredito em cada palavra.
No entanto, não há como negar que o casamento é muitas vezes uma série de mensagens de texto frenéticas entre os cônjuges para descobrir quem está pegando qual filho depois de praticar esportes, quem tem alguns minutos extras para fazer o jantar e quem deve chamar o encanador.

Os casamentos são um desafio supremo, porque a substância do amor matrimonial está em pequenos atos não revelados de amor. Os casamentos não são cimentados por histórias de romance extasiado, mas isso não significa que não sejam felizes, realizadores e cheios de amor.

O truque para nós é identificar o que realmente é o amor e nos lançar em seus braços com energia renovada. Antes que possamos fazer isso, um pouco de conhecimento ajuda: como nos amamos melhor? Como é realmente o amor verdadeiro?

Nem todo amor é criado da mesma forma. Nós amamos de muitas maneiras diferentes. Por exemplo, posso compartilhar, sem fôlego, a foto de um delicioso hambúrguer gourmet e delirar com o quanto eu o amo, ou ligar uma música no rádio, cantando alto junto com o som que eu amo. Mas esses tipos de amor são muito diferentes do que o marido e a esposa compartilham, que também é diferente do amor que os pais têm por um filho ou um amigo tem por um amigo.

Mesmo dentro de um casamento, a qualidade do amor pode não ser consistente. Eu sei, por exemplo, que no meu casamento há dias em que sou capaz de demonstrar amor pela minha esposa melhor do que outros dias. Por mais que me esforce para amá-la perfeitamente, meu amor próprio e preguiça frequentemente interferem. Não deve ser uma notícia chocante – afinal, a maioria dos casais tem queixas e discussões de tempos em tempos.


O que pode ser mais surpreendente, porém, é a ideia de que os casamentos podem operar consistentemente, para o bem ou para o mal, em diferentes níveis de amor, e alguns tipos de amor estão associados a relacionamentos bem-sucedidos, enquanto outros podem levar a problemas.

Um casal em um casamento duradouro se esforça para alcançar o mais alto nível de amor, o que serve de base para o relacionamento, mesmo quando o casal passa por dias ruins.

São Bernardo Claraval, um monge do século 11, escreveu um livro chamado O amor de Deus, no qual explica como desenvolvemos um amor perfeito por Deus. Para isso, ele descreve quatro graus de amor e como passar de um nível para o outro.

A rigor, seu conselho é para uma jornada espiritual e, para Bernardo, esses níveis representam um caminho para Deus. Um casamento, no entanto, pretende imitar o amor que Deus tem por nós, e é por isso que o casamento é sagrado. É lógico, então, que os quatro graus de amor podem ser aplicados ao casamento.

Os conselhos de São Bernardo podem ajudar-nos a “melhorar” nosso casamento. Aqui estão os quatro graus de amor (e atenção: o nível final é surpreendente).

Nível 1: Amor a si próprio

A maioria dos casamentos nem se formaria nesse estado, no qual cada parceiro só pensa em si mesmo, mas talvez alguns tenham começado dessa maneira. Um casamento nesse nível pode permanecer junto por conveniência ou por um benefício mútuo social ou financeiro, mas Bernard diz que devemos reconhecer que esse estágio é destrutivo.

Uma pessoa neste estágio deve parar, “seguindo seus próprios desejos de destruição ou ficando escravizada por paixões que são inimigas do seu verdadeiro bem-estar”. Em outras palavras, o amor próprio acaba sendo prejudicial, porque nos escraviza aos nossos desejos. Muito melhor oferecer o amor pessoal ao seu cônjuge.

Nível 2: Amor egoísta

O amor a si próprio pode melhorar para um estado em que os cônjuges realmente se amam, mas por razões egoístas. Isso é amor, porque consigo extrair algo disso. Pode ser o amor romântico, que fornece uma corrida emocional e um senso de validação. Suspeito que muitos relacionamentos iniciem nesse nível, mas os casamentos que ficam presos aqui podem facilmente terminar se um dos cônjuges alegar que o relacionamento não atende mais às suas necessidades pessoais.

Nesse ponto, a dependência mútua não funciona mais. Bernardo aconselha que, para avançar a partir desse estágio, devemos pensar por que a pessoa que amamos é tão benéfica e, “então, percebendo o quão boa ela é, sentimo-nos atraídos por amá-la desinteressadamente, ainda mais poderosamente do que quando atraídos por nossas próprias necessidades de amá-la de forma egoísta.”

Nível 3: Amor pelo bem do outro

Se eu conseguir atingir o nível em que amo minha esposa simplesmente porque ela é maravilhosa, meu amor se transforma e se torna menos egoísta. Eu quero que ela tenha sucesso. Eu não tenho ciúmes dela. Não me preocupo muito com minhas próprias necessidades. Esse grau de amor é muito mais forte do que o que veio antes, porque pode sustentar um casamento nas dificuldades.

Bernardo diz: “Esse amor é digno de nota, porque é espontâneo. É puro, porque não é mostrado em palavras, mas em obras e verdade. É justo, porque retribui o que recebeu.” Em outras palavras, um casamento nesse nível é cheio de gratidão, e desenvolve cônjuges que pensam no que podem contribuir para o casamento.

Nível 4: Ame a si mesmo porque seu cônjuge ama você

Foi o que achei surpreendente, mas faz sentido quando você pensa sobre isso. Um casamento que atinge esse nível é aquele em que começo a me ver como minha esposa me vê. Não sou mais auto-consciente, ansioso ou duvidoso sobre o nosso relacionamento. O amor de minha esposa me faz amar mais a mim mesmo e me chama a atenção. Faz-me querer ser uma pessoa melhor.

Esse grau de amor é um presente que damos um ao outro, como Bernardo deixa claro: “Esse grau que nenhum esforço humano pode atingir: está no poder de Deus entregá-lo a quem Ele quiser”. Poderíamos reformular assim: está no poder do cônjuge doá-lo. Quando um casamento atinge esse grau de amor, torna-se uma inspiração e fonte de força mútua.

Se continuarmos subindo os graus de amor, não acho que seja uma falsa esperança acreditar que nossos casamentos podem ser absolutamente incríveis, cheios do amor mais profundo e permanente.

Fonte: Portal Aleteia

Catequese: anunciar Cristo construindo pontes, nada de agressão

A chegada de Paulo à Grécia e o seu discurso no areópago de Atenas inspirou a catequese do Papa Francisco na Audiência Geral na Praça São Pedro.
Quarta-feira é dia de Audiência Geral no Vaticano e o Papa Francisco se reuniu com milhares de fiéis e peregrinos na Praça São Pedro não obstante o mau tempo.
Em sua catequese, o Pontífice deu prosseguimento à sua “viagem” com o livro dos Atos dos Apóstolos, comentando o capítulo 17: “Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio”.

Olhos de fé
Este trecho narra a chegada de Paulo ao coração da Grécia: Atenas. Ali, o Apóstolo tem um impacto com o paganismo, mas ao invés de fugir, busca uma ponte para dialogar com aquela cultura, reunindo-se com as pessoas mais significativas.
“Paulo não olha a cidade de Atenas e o mundo pagão com hostilidade, mas com os olhos da fé”, explicou Francisco.
E isso nos faz interrogar sobre o nosso modo de olhar as nossas cidades: “Nós as observamos com indiferença? Com desprezo? Ou com a fé que reconhece os filhos de Deus em meio às multidões anônimas?”, questionou o Papa.

Abrir uma brecha
Paulo escolhe o olhar que o leva a abrir uma brecha entre o Evangelho e o mundo pagão. No coração de uma das instituições mais célebres do mundo antigo, o Areópago, ele realiza um extraordinário exemplo de inculturação da mensagem da fé: anuncia Jesus Cristo aos adoradores de ídolos, e não o faz agredindo, mas fazendo ponte, “pontífice”.
Em seu discurso, o Apóstolo se inspira no altar da cidade, dedicado a um “deus desconhecido”, para então anunciar Aquele que os homens ignoram, e todavia conhecem-No: o Ignorado-Conhecido, disse o Papa, citando uma expressão de Bento XVI E convida todos a irem além dos templos da ignorância e a optarem pela conversão em vista do juízo iminente. Paulo chega assim ao kerygma e faz alusão a Cristo, sem citá-lo.

Construir pontes
A este ponto, a pregação do Apóstolo encontra um desafio: a morte e a ressurreição de Cristo é interpretada como tolice e suscita zombaria e escárnio. Paulo se afasta e a sua tentativa está prestes a falir quando alguns aderem à sua palavra e se abrem à fé.
“Peçamos também nós hoje ao Espírito Santo, concluiu Francisco, que nos ensine a construir pontes com a cultura, com quem não crê ou com quem tem um credo diferente do nosso. Sempre construir pontes, com a mão estendida, nada de agressão. Peçamos a capacidade de inculturar com delicadeza a mensagem da fé, depositando sobre quem não conhece Cristo um olhar contemplativo, movido por um amor que aquece os corações mais endurecidos”.
Fonte: Vatican News

Lote de inscrição para o ENF está se encerrando. Meio de transporte deve ser informado

Entramos na última semana do terceiro e penúltimo lote de inscrição para o Encontro Nacional de Formação para Coordenadores e Ministérios (ENF 2020) da Renovação Carismática Católica do Brasil.
O terceiro lote se encerra na próxima segunda-feira (11), às 23h59. Após essa data, o valor da inscrição passa de R$145,00 para R$155,00. Por isso, é importante que todos que desejam participar do evento se inscrevam o mais rápido possível e garantam o desconto.
Para se inscrever no evento o participante deve acessar o site do ENF (clique aqui) e preencher seus dados. No caso de dúvidas, a pessoa deve entrar em contato com o Escritório Nacional da RCCBRASIL (veja horários de funcionamento aqui) para mais informações.
O ENF é o maior evento de formação da Renovação Carismática Católica do Brasil e vai acontecer de 22 a 26 de janeiro, na Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP) e, também, no complexo do Santuário Nacional de Aparecida, em Aparecida (SP). O evento apresenta o tema a ser vivido pela RCC durante o ano e fortalece a unidade entre os membros do Movimento no país, pois é destinado a coordenadores estaduais, diocesanos, de Ministérios, de Grupos de Oração, de equipes e núcleos de serviço. Nos cinco dias de atividades, os membros de todos os Ministérios se reúnem para receber formação sobre questões específicas de cada serviço, além de participarem de momentos de partilha, vivência fraterna e oração entre todos os participantes.  

Meio de transporte deve ser informado no momento da inscrição
Ao fazer a inscrição, há um campo que deve ser preenchido com a forma de transporte escolhida pelo participante para chegar ao ENF.
É muito importante que todos os inscritos se atentem a esse campo e preencham corretamente. Com essa informação será possível a equipe organizadora do evento preparar uma estrutura adequada, oferecendo o melhor atendimento e acolhida aos participantes.

Inscreva-se!
Para ter acesso a todas às atividades do ENF, o participante deve estar inscrito no evento e devidamente credenciado.
Então, aproveite essa semana com desconto e inscreva-se no maior evento de formação da Renovação Carismática Católica do país:

alt

Confira a arte do tema do ano 2020

Está disponível para download a arte do tema da Renovação Carismática Católica para o ano de 2020. Depois de oração e escuta profética, o tema discernido pelo Conselho Nacional em reunião, foi a passagem bíblica “Transformai-vos pela renovação do vosso espírito” (Rm12,2).
A arte do tema propõe a ideia de que estamos no mundo, mas nossos corações estão voltados para o Céu, por isso, não nos conformamos com as coisas da Terra, mas estamos em constante busca de transformação de vida para alcançar a vida eterna.
De acordo com o discernimento do Conselho Nacional durante o momento de escuta sobre o tema do ano, cinco palavras serão importantes para guiar as diretrizes de 2020, baseadas no capítulo 12 da Carta aos Romanos, que aborda a mudança interna necessária a cada pessoa, sua relação com o irmão e obediência ao Senhor: Autoridade, Poder, Profundidade, Intimidade e Sintonia. No conceito da arte tema, todos esses elementos estão contemplados e são explicados no manual de aplicação.
A arte do ano traz as cores laranja, vermelho e azul e apresenta uma pessoa próxima a uma pomba (simbolizando o Espírito Santo) elevando as mãos para o céu. Dessa forma, estando no mundo, mas buscando o alto, tendo uma vida próxima ao Espírito Santo e recebendo-O todos os dias, nosso espírito será transformado, como impele o tema do ano.

Atenção!
É indispensável que todos que irão produzir materiais com a arte respeitem as orientações contidas no manual que está disponível no mesmo arquivo para download.

alt


Tem versão infantil!
Para aproximar as crianças do tema do ano, a RCCBRASIL disponibilizou uma  versão infantil da marca! A arte adaptada apresenta traços mais suaves, cores delicadas e uma linguagem mais lúdica, poderá ser utilizada nos eventos do Ministério e Grupos de Oração para Crianças e Adolescentes, assim como em outras atividades de evangelização infantil.
Fique atento ao manual de aplicação e baixe o material!

alt




É hora de dar PLAY! Já conhece a playlist do Ministério de Música e Artes?

Em setembro de 2019, o Ministério de Música e Artes lançou a playlist “É hora de dar play”, no canal oficial da Renovação Carismática Católica do Brasil. Com essa novidade, semanalmente, o Ministério em nível nacional passa a oferecer conteúdo formativo e de espiritualidade para auxiliar e partilhar com membros do Movimento as principais necessidades e ações do Ministério nos Grupos de Oração.
Segundo a coordenadora nacional do Ministério de Música e Artes, Roberta Castro, o objetivo da playlist élevar formação de qualidade a todos os ministros de música e artes da RCCBRASIL, em especial, dando a oportunidade de pessoas de localidades mais distantes e de difícil acesso serem formadas.


A coordenadora explicou que a ideia da playlist veio da necessidade apresentada pelos irmãos do Ministério: “A ideia da criação veio da percepção de que muitos não tem acesso aos encontros e formações nacionais e estaduais, seja por questões de localização ou por dificuldades financeiras. O desejo da equipe nacional do Ministério é estar mais perto de todos, tornando o contato mais fácil e dinâmico”, esclareceu Roberta.
A proposta do Ministério é que seja publicado novos conteúdos a cada semana, variando entrevídeos de formação humana ou espiritual e  séries voltadas para cada seguimento do Ministério (músicos, dançarinos e artistas de teatro). Além disso, o Ministério está se organizando para oferecer Lives, promoções, palestras, eventos, apresentações diversas, músicas regionais e muito mais novidades no Canal da RCCBRASIL. 
Já estão disponíveis conteúdos como formações com o tema “Teatro, uma expressão dentro do Ministério” (Alexandra Frugerio); “Como manter a saúde da Voz” e “Como a voz é produzida” (Adson Moreira); “Aprenda sobre expressão”(Sonia Secco), entre outros.
É hora de dar play e acompanhar todas as novidades! Dê seu like, inscreva-se e compartilhe os vídeos do Ministério de Música e Artes com seus irmãos de Grupo de Oração e Diocese!

https://www.youtube.com/watch?v=jMZceojvKgw&list=PLq7inq2KAaUPklEYFZ_bFu1PJHsTU1Q3W&index=1

A oração é indispensável para a paz, afirma o Papa

O Papa Francisco enviou, neste domingo, 15, uma mensagem aos participantes do Encontro internacional “Paz sem fronteiras”, reunidos em Madri até o dia 17. O Encontro, promovido pela Comunidade de Santo Egídio, em colaboração com a Arquidiocese de Madri, na Espanha, representa uma das maiores manifestações de paz em todo o mundo.

Segundo Francisco, a peregrinação de paz a Madri é o testemunho da força daquele espírito de Assis que é oração a Deus e promoção da paz entre os povos: “É sempre necessário rezar e dialogar na perspectiva da paz, os frutos virão!”. Há trinta anos caia o muro de Berlim, terminava uma “lacerante divisão do continente que tinha causado tanto sofrimento”. Foi a oração pela paz que favoreceu a queda do muro, explica Francisco, e que a paz deve ser continuamente incrementada de geração em geração através do diálogo, do encontro e da negociação”.

Separações que destroem o mundo
Hoje, continua o Papa, “é insensato, na perspectiva do bem dos povos e do mundo, fechar os espaços, separar os povos, opor-se uns aos outros, negar a hospitalidade aos necessitados e às suas famílias”, porque assim “o mundo fica despedaçado, usando a mesma violência com a qual se arruína o ambiente e se danifica a casa comum, que pede, ao invés, amor, cuidado, respeito, assim como a humanidade invoca paz e fraternidade”.

De acordo com o Papa, a casa comum precisa de portas abertas para se comunicar e se encontrar, e não suporta muros que separam ou que contrastam aqueles que ali vivem. Essa casa comum – escreve o Papa – precisa de portas abertas que ajudem a “cooperar para viver juntos em paz, respeitando as diversidades e estreitando laços de responsabilidade”. A paz, destaca Francisco, “não tem fronteiras”. Sempre, sem exceções”.

O Documento sobre a Fraternidade Humana, um passo importante para a paz

No encontro de Madri, a oração – explica o Papa – ocupa o lugar principal e decisivo. “A oração pela paz, neste tempo marcado por demasiados conflitos e violências, une-nos ainda mais, para além das diferenças, no nosso comum compromisso por um mundo mais fraterno”. E precisamente porque “a fraternidade entre os crentes, além de ser uma barreira às inimizades e às guerras, é um fermento de fraternidade entre os povos”.

Francisco cita o documento sobre a “Fraternidade humana para a paz mundial e a convivência comum”, assinado em fevereiro passado em Abu Dhabi por ele e o Grande Imã de Al-Azhar. Um texto que será o fio condutor do encontro de Madri, pois sublinha que “as religiões nunca incitam à guerra e não solicitam sentimentos de ódio, de hostilidade, de extremismo, nem convidam à violência ou ao derramamento de sangue”.

O Papa conclui pedindo a todos que se unam e se aproximem “para gritar que a paz não tem fronteiras, não tem fronteiras”. É dos corações que “devemos erradicar as fronteiras que dividem e se opõem”. E é nos corações que devem ser semeados os sentimentos de paz e de fraternidade”.

Fonte: Portal Cancão Nova