Congresso Arquidiocesano

Congresso Arquidiocesano

Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Bahia

RCC Brasil

Pregações do Advento com cardeal Cantalamessa começam dia 4

 A partir da próxima sexta-feira, 4, terão início as meditações para o Advento, com a presença do Papa. O anúncio foi dado pela Prefeitura da Casa Pontifícia. As meditações foram confiadas ao pregador da Casa Pontifícia, o recém eleito Cardeal Raniero Cantalamessa O.F.M. Cap. que escolheu para este ano o tema: “Ensina-nos a contar nossos dias, para que venhamos a ter um coração sábio ” do Salmo 90, 12.

Escolhido por João Paulo II

Desde 23 de junho de 1980, quando João Paulo II o escolheu como pregador, o frade capuchinho continua o seu caminho. Neste longo período, o novo cardeal teve a apreciação por parte de três pontífices, causando muita admiração, como ele mesmo teve a oportunidade de dizer em uma recente entrevista: “Pensar”, disse, “que um Papa como João Paulo II, Bento XVI e até mesmo Francisco encontram tempo para ouvir um pobre e simples frade capuchinho é um exemplo que eles dão a toda a Igreja, um exemplo de estima pela Palavra de Deus. Em certo sentido, são eles que me fazem a pregação”.

Para este ano, o lugar escolhido para os três encontros de dezembro em preparação ao Natal é a Sala Paulo VI, porque, explica a Prefeitura, responde à necessidade de permitir a devida distância entre os participantes em termos de prevenção anti-Covid.

Os convidados às meditações são os cardeais, arcebispos, bispos, prelados da Família Pontifícia, funcionários da Cúria Romana e do Vicariato de Roma, os Superiores Gerais ou Procuradores das Ordens religiosas que fazem parte da Capela Pontifícia.

O calendário das pregações segue o do Advento, assim desde a primeira semana, 4 de dezembro, depois sexta-feira, dia 11 a segunda semana, e finalmente sexta-feira, 18 de dezembro, sempre às nove horas da manhã.

Fonte: Portal Canção Nova

Endocrinologista explica relação entre obesidade e a covid-19

 


A obesidade é um dos problemas mais graves enfrentados pela humanidade nos últimos tempos. Bem antes da pandemia, a situação mundial e nacional já era preocupante. Estima-se que, até 2025, 2,3 bilhões de pessoas estejam acima do peso e 700 milhões estejam obesos, com índice de massa maior que 30. Atualmente, uma em cada cinco pessoas no mundo é obesa. No Brasil, a situação não é diferente: 56% da população está acima do peso, e 19% obesa.

Ao longo da pandemia, diversos estudos apresentaram a relação entre a obesidade com a covid-19. No início, pensava-se que os idosos eram o grupo mais preocupante, mas se observou um grande agravamento da doença nos pacientes obesos.

Em um desses estudos, o sistema nacional de saúde britânico (NHS) mapeou um grupo de 196 pacientes internados por covid-19. Destes, 71% dos que foram encaminhados a UTIs eram obesos. A associação entre obesidade e quadros mais graves de pacientes já tinha sido feita em 2009, quando houve a pandemia do H1N1. Na ocasião, um estudo da Organização Mundial da Saúde  (OMS) apontava que o excesso de peso aumentava os fatores de risco da doença.

Por aqui, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou experimentos que confirmam que o novo coronavírus (Sars-CoV-2) pode ser capaz de infectar células adiposas humanas e de se manter em seu interior. O experimento ajuda a entender por que indivíduos obesos correm mais risco de desenvolver a forma grave da covid-19. Segundo a hipótese investigada na Unicamp, os obesos teriam um maior reservatório para o vírus em seu organismo.

A endocrinologista Priscila Aquino explica melhor essa relação da obesidade com a covid-19, e por que quem é obeso tem mais probabilidade de ter complicações ao ser acometido pela doença.

“A obesidade é considerada um fator de risco, uma comorbidade, junto com hipertensão arterial sistêmica, com diabetes, porque traz uma maior vulnerabilidade para o indivíduo. O tecido adiposo produz muitos hormônios e substâncias inflamatórias que fazem o organismo estar exposto constantemente a uma inflamação e formação de coágulos. Isso piora muito no caso da infecção pelo Sars-cov-2.”

A especialista ressalta que esse processo inflamatório causado pela obesidade afeta o sistema imune, deixando a pessoa com o sistema mais debilitado. Além disso, quem é obeso pode ter uma maior dificuldade na respiração.

“A gente tem nas nossas células, nos nossos leucócitos, uma ação chamada quimiotaxia. Quando a pessoa fica obesa, diabética ou hipertensa, esses leucócitos não têm mais a mesma capacidade de destruir um agente agressor, fazendo com que o sistema imunológico da pessoa fique mais fraco. A gordura por dentro dos órgãos também compromete a capacidade respiratória e comprime os pulmões, dificultando com que o diafragma e os músculos do peitoral exerçam os movimentos normais da respiração, ainda mais com a entrada do vírus que vai exigir um esforço ainda maior.

Emagrecer na pandemia

A endocrinologista salienta que tratar a obesidade é algo complexo, pois existem fatores genéticos e ambientais. “Os genéticos não têm como ser modificados, mas os ambientais, que são a alimentação, atividade física, um bom hábito de sono, dá para serem melhorados.” E ela dá dicas para um melhor estilo de vida: “Incluir, na alimentação, frutas, verduras, legumes, grãos. Evitar doces, enlatados, embutidos, fritura. Começar uma atividade física após consultar seu médico. Uma caminhada, por 30 minutos, pelo menos 4 vezes por semana. Além disso, pode ser que seu médico prescreva uma suplementação de vitaminas e sais minerais.”

A insegurança nesse período de pandemia, sabendo das possíveis relações entre obesidade e a covid-19, acabou estimulando muitas pessoas a adotar um estilo de vida mais saudável.

Aline pesava 94kg no início da pandemia. Hoje, pesa 65./ Foto: Arquivo Pessoal.

A auxiliar de cozinha Aline dos Santos tem 36 anos, e iniciou um processo de perda de peso motivada pelas notícias no início do ano.

“A pandemia mexeu muito com meu psicológico. O fato de não sabermos muita coisa sobre o novo vírus no início me deixou muito apreensiva, e sempre que via os noticiários eram idosos e jovens obesos que iam a óbito. Comecei a não me sentir bem em estar acima do peso, e o medo desse vírus fez virar uma chavinha na minha cabeça e partir para a mudança.”

No início da pandemia, Aline pesava 94 quilos. Hoje, está com 65.

“Minha vida mudou muito. Eu me sinto mais disposta e confiante, e meu emocional também melhorou muito. Criei uma rotina para a minha vida, com alimentação e exercícios físicos. Mesmo dentro de casa, consegui mudar minha realidade. Descobri que sempre arrumamos desculpas para não cuidarmos de nós. Sinto-me orgulhosa por ter chegado até aqui e pretendo levar essa mudança por toda a minha vida.”

Rafael pesava 31 kg a mais no início da pandemia./ Foto: Arquivo Pessoal.

O microempreendedor Rafael Felício da Silva conta que também fez deste tempo um momento de mudanças. 

“A maior parte da minha família é da área da saúde e trabalhava na linha de frente, e as notícias que chegavam para nós no grupo da família eram que o quadro da covid em pacientes obesos não eram bons. Decidi então começar uma dieta.”

Rafael perdeu, ao todo, 31 quilos ao longo desses meses. “Ainda faço parte do grupo de risco, mas acredito que até o meio de 2021 estarei no meu peso ideal. Para completar, tornei-me pai neste ano no início da pandemia, e a vontade de viver para estar presente na vida da minha filha foi muito forte. Não tem sido uma luta fácil, mas a vontade de ter qualidade de vida é maior.”


Denise Claro, Da redação Canção Nova

Fonte: Portal Canção Nova

O que são os carismas?


Oriunda da língua grega chárisma (χάρισμα), é um substantivo com raiz na palavra ‘char’ (χάρ) que indica coisas que produzem bem-estar e no verbo charízomai (χαρίζομαι) que significa mostrar-se generoso, presentear algo. Tem ligação com a palavra cháris (χάρις) que retrata um favor imerecido, graça, amabilidade, gratidão, beleza, agradecimento, deleite, bondade, serviço prestado, benefício.

Os carismas são dons do Espírito Santo para o serviço da comunidade, edificação dos fiéis e conversão dos que não creem (1 Cor 12,7). São dons concedidos por benevolência, resultado da graça divina. A igreja primitiva usou esse termo para designar dons espirituais extraordinários, concedidos pelo Espírito Santo. Receberam essa denominação por serem fantásticos, fascinantes, prodigiosos.

Os carismas são sinais para os que não creem e capacitação para o trabalho apostólico dos cristãos. Com eles somos revestidos da capacidade de servir e dos instrumentos necessários para executar nossa missão.

O Espírito Santo de Deus é o primeiro dom, o primeiro presente, o primeiro carisma. É Dele que emanam todos os outros. O seu derramar de forma abundante em Pentecostes foi capaz de irromper na alma dos crentes aquilo que a Constituição Dogmática Lumen Gentium n° 12 chamou de “carismas extraordinários”.

As manifestações prodigiosas, tão comuns nas primeiras comunidades cristãs nos tempos apostólicos, permaneceram ainda por muito tempo, como é atestado pela Didaqué e pelos escritos de São Justino Mártir. No século III, ocorreu uma diminuição dessa fruição, em decorrência da institucionalização e do surgimento de heresias, como o montanismo que causou a primeira grande crise da unidade entre carismas e ministérios. Além do macedonismojoaquinismomessalianismodonatismo e outras. Suas ocorrências tornaram-se tímidas, mas não inexistentes. Permaneceram, de modo especial, no monarquismo, nas ordens religiosas, nas ordens mendicantes e na vida dos místicos e santos (Santo Antônio, São Francisco, São Pio de Pietrelcina...), como podemos atestar nos vários relatos hagiográficos.

Após o Concílio Vaticano II, a teologia dos carismas foi retomada vigorosamente por teólogos do mundo inteiro. Motivada pelo novo sopro do Espírito, suscitada nos tempos modernos, pela Beata Elena Guerra e desejada por São João XXIII, quando na sessão de abertura solene clamou por uma renovação dos prodígios e um novo Pentecostes, que foi sentido e acolhido por toda a Igreja, especialmente pelas expressões carismáticas.

A forma de relacionar-se pessoalmente com o Cristo ressuscitado, através da experiência do batismo no Espírito, trazida pela nossa corrente de graça em nossos Grupos de Oração, reacenderam essa chama, que incendiou o mundo inteiro. Propagando e compartilhando a forma de vivenciar os dons carismáticos, ensinando e tornando acessível aos leigos a graça que havia ficado quase que exclusivamente na vida dos místicos.

 “A partir de Pentecostes, a Igreja experimenta de imediato fecundas irrupções do Espírito, vitalidade divina que se expressa em diversos dons e carismas (cf. 1 Cor 12,1-11) e variados ofícios que edificam a Igreja e servem à evangelização (cf. 1 Cor 12,28-29). Através desses dons, a Igreja propaga o ministério salvífico do Senhor até que Ele de novo se manifeste no final dos tempos (cf. 1 Cor 1,6-7). O Espírito na Igreja forja missionários decididos e valentes como Pedro (cf. At 4,13) e Paulo (cf. At 13,9), indica os lugares que devem ser evangelizados e escolhe aqueles que devem fazê-lo (cf. At 13,2)” (Documento de Aparecida nº 150).

 

-------------------------

Nayana Cavalcante

Coordenadora Estadual do Ministério de Formação da RCC Maranhão

Grupo de Oração Mensageiros da Paz - Arquidiocese de São Luís do Maranhão


Fonte: Portal RCC Brasil

 

#ENF2021 - Vem aí o maior encontro online da RCCBRASIL




Grupo de Oração, Lugar de Pastoreio

Sabe, costumamos chamar os Grupos de Oração, de “nossa Jerusalém”.Entretanto, nos evangelhos Jesus muitas vezes exortou Jerusalém, às vezes também pareceu lavar suas mãos diante de seu comportamento (Cf. Lc 13,34-35) e até chorou por Jerusalém (Cf. Lc 19, 41-44). Contudo, Jesus, como Lucas descreve em Atos 1,4, antes de subir aos céus, nos deixou a ordem de não nos afastarmos de Jerusalém, que pudéssemos ser perseverantes em Jerusalém, pois é ali, na “nossa Jerusalém”, que o Pai cumpre sua promessa, “João batizou com água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo” (Atos 1,5).

Todo membro de Grupo de Oração que experimenta ao cumprimento da promessa do Pai em “sua Jerusalém”, torna-se um “pastor“. Em seu coração há a reafirmação da fé (Cf Tito1,2)onde reconhece o GO como um aprisco seguro, no qual, Jesus é o Bom Pastor que "não abandonou seu rebanho, mas o guarda, por meio dos apóstolos, sob sua constante proteção e o dirige pelos mesmos pastores que continuam até hoje sua obra” (CIC 1575).

O maior fruto que nosso GO pode ofertar à Igreja é o cuidado perpétuo para com as ovelhas de Cristo.Esse cuidado perpassa por todos os âmbitos do ser humano, portanto, revestidos de “Misericórdia, lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida, que é o caminho que une Deus e o homem, que nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado” (Bula Papal MesiricordieVultus , 2° parágrafo),continuemos firmes, em resgatar no íntimo do ser de cada ovelha de Cristo, a própria dignidade de Filho de Deus. Esse cuidado exige muito de nós, mas o Pastor Maior nos diz, “aprendei de Mim, que Sou manso e humilde de coração” (Mt 11,29).

Sejamos fiéis à ordem de Jesus, permaneçamos em nossa Jerusalém e a cada Reunião de Oração, Núcleo ou Grupo de Perseverança, o Pai cumprirá sua promessa, reforçando em nós, a vocação ao pastoreio.“Nada é pequeno se feito com amor” (Santa Teresinha do Menino Jesus).Permaneçamos firmes em Cristo, nosso Senhor!

 

Danielle Melo dos Santos Pires, Grupo de Oração Raboni, Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, Coaraci – Bahia, coordenadora do Ministério de Formação da Diocese de Ilhéus, Pedagoga.


Fonte: Portal RCC Bahia

Moção, fruto da obediência


Porque é essa a ordem que o Senhor nos deu: "Eu coloquei você como luz para as nações, para que leve a salvação até aos extremos da terra" (Atos 13, 47).

"Vocês, porém, receberam a unção que vem do Santo, de modo que todos vocês possuem sabedoria" (I Jo 2, 20).
 
Mas ainda, prestem atenção! Vejam essa Palavra: "É preciso que vocês se renovem pela transformação espiritual da inteligência" (Ef 4, 23).
 
Irmãos, o Senhor disse e é importante entendermos que não somos mais os mesmos! Somos homens e mulheres batizados no Espírito Santo! Por isso, é necessário deixar que esse mesmo Espírito que recebemos transforme a nossa mentalidade, a nossa inteligência e conforme o nosso coração ao coração de Jesus, pois foi por meio desse batismo que as nossas vendas caíram; nossos olhos se abriram e conhecemos a plena verdade que é o próprio Cristo. O mundo não mais nos atrai. Temos hoje uma visão espiritual! Portanto, temos que entender e acreditar, que as tribulações, lutas, combates, muitas vezes, enfermidades, e tudo que estamos fazendo ou vivendo são oportunidades para honrar o nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
 
“Vocês acham que as trevas não lutam contra vocês filhos da luz?”
 
Por estarmos em uma linha de frente na intercessão, somos um alvo visível. Não seria diferente! O segredo é estar em constante intercessão. Lembrem-se: A sala do trono é o lugar mais seguro para o intercessor. Quando estamos intercedendo, estamos seguros. O intercessor vive a intercessão vinte e quatro horas. Não há o que temer ou se assustar se estamos em Cristo.
 
Tenho visto irmãos passando por lutas, provas, enfermidades; irmãos sofrendo as escondidas, outros até muito silenciosos, tudo isso é fruto de uma vida em santidade. O Senhor está conosco!
 
Estamos passando pela “transformação espiritual da inteligência”, e precisamos enxergar tudo isso com os olhos de oração, com os olhos de intercessão, se não for assim, seremos vencidos. O Senhor não quer mais nenhum dos seus filhos e filhas ficando pela estrada, ele quer as cem ovelhas e não apenas às noventa e nove. Significa que devemos ir atrás da que faltou. Lembra?
 
"Vocês necessitam apenas de perseverança, a fim de cumprirem a vontade de Deus, e assim alcançarem o que ele prometeu" (Hb 10, 36).
 
O quanto o Senhor é capaz de realizar se deixarmos de nos preocuparmos e permitirmos sermos conduzidos por Ele. O quanto o Senhor é capaz de fazer, se pegarmos a Santa Palavra e orarmos com ela! O quanto o Senhor faz na vida daqueles que obedecem à moção Norte para cada tempo.
 
Não deixemos que esse espírito mudo venha impedir que as moções cheguem a cada Grupo de Oração. Muitas vezes, chegamos a lugares e irmãos não estão vivendo a moção, porque os líderes não a fizeram chegar. Queridos intercessores, muitos servos
 
estão doentes espiritualmente por desobedecerem. A palavra de Deus no livro de I Sm 15, 22 nos diz: “A obediência vale mais que o sacrifício” e tantas vezes ouvimos dizer que quem obedece NUNCA erra! É preciso, então, como intercessores e intercessoras, homens e mulheres de oração, que façamos a voz do Senhor chegar nos quatro cantos do nosso Grupo de Oração e, por meio dele, ver a palavra e a graça de Deus se cumprir na vida de todo um povo que é DELE, mas que a sua bondade confia a cada um de nós.
 
Diante de um tempo de tantas enfermidades, e não somente, enfermidades do corpo, mas também enfermidades da alma, o Amor, e só o amor cura! Corram às pressas e levem o anúncio! Declare HOJE a cura de toda paralisia espiritual, no nome de Jesus.
 
“Peço a vocês que mantenham as lâmpadas acesas”. Ninguém está sofrendo sozinho, porque intercessão é um só coração!
 
"Fiquem atentos e rezem todo tempo, a fim de terem força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficarem de pé diante do Filho do Homem" (Lc 21, 36).
 
 
Eric Batista Figueiredo 
Coordenador Estadual do Ministério de Intercessão - RCC Bahia 
 
 
 
INTENÇÕES PERMANENTES
 
 
1. Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelos Bispos, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos (as) e pelos Seminaristas;
 
2. Por todas as vocações, para que o chamado de Deus seja assumido com amor e fidelidade;
 
3. Pelos membros do Serviço Internacional para a Renovação Carismática Católica – CHARIS;
 
4. Pelos membros do Serviço Nacional de Comunhão CHARIS;
 
5. Pelo Presidente do Conselho Nacional, Vinícius Simões e sua família, e todos os membros do Conselho Nacional;
 
6. Pelas reuniões dos Conselhos Estaduais e Diocesanos;
 
7. Por todos os Grupos de Oração do Brasil;
 
8. Por todos os Ministérios da RCC em nível nacional, estadual, diocesano e de Grupo de Oração;
 
9. Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesanos, estaduais e nacional da RCC;
 
10. Pela casa de missão da RCCBRASIL no Marajó e pelos missionários e missionárias;
 
11. Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores;
 
12. Pelos eventos de evangelização da RCC no Brasil;
 
13. Pela situação política, econômica e moral em nosso País;
 
14. Para que cesse a violência no Brasil e no mundo;
 
15. Pela erradicação dos vírus causadores da Febre Amarela, Dengue, Zika e Chikungunya.
 
 
INTENÇÕES DO MÊS
 
 
- Pelo Encontro Nacional de Formação - ENF, 20 a 24 de janeiro de 2021;
 
- Pelo Congresso Online do Ministério para Crianças e Adolescentes, 18 a 20 de setembro;
 
- Pelo Retiro Online para Religiosas e Consagradas Celibatárias, 22 e 23 de setembro;
 
- Pelo fim da pandemia do Coronavírus no Brasil e no mundo;
 
- Pelo restabelecimento dos infectados pelo Coronavírus;
 
- Pelos profissionais da área de saúde.

Campanha Sentinelas Resgatando a Palavra



No mês dedicado à Palavra de Deus, todos os carismáticos do país são convidados a viverem a moção “Sentinelas Resgatando a Palavra”. Com duração de 30 dias, serão disponibilizados vídeos diariamente, no período da manhã, pelas redes oficiais da RCCBRASIL. A cada dia, um pregador de grupo de oração, representando cada estado do Brasil, irá pregar a Sagrada Escritura, promovendo assim um momento oportuno para se aprofundar na intimidade e oração com o Senhor.

 

Direção

 

As Escrituras dizem: “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho” (Sl 119,105).

A Palavra de Deus é alimento para a fé. Ela não volta sem ter produzido seu efeito, é capaz de transformar o interior do homem. Por isso, devemos orar com a Palavra de Deus nos Grupos de Oração. Pois, além dela ser a principal profecia, ela é o manual de fé e conduta do homem, inspirando-o a viver em santidade e louvando a Deus.

Que todos carismáticos do Brasil, em uma só voz, possam, na Leitura Orante da Bíblia, alimentar a fé e resgatar a sua identidade. Nos próximos 30 dias, divulgaremos vídeos para encorajá-los a alimentar a sua fé na Palavra de Deus! Compartilhe com os membros do seu Grupo de Oração, familiares, amigos e conhecidos para que a luz da Palavra ilumine todo o Brasil.

A pregação da Palavra deve nos apresentar Jesus Cristo, Senhor e Salvador, deve nos levantar e animar o nosso espírito. A pregação da Palavra de Deus carrega em si uma força de vida e de recriação.

Retirado do livro “Eu te Constituí Sentinela na Casa de Israel”.