Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Bahia

RCC Brasil

RCC Salvador suspende atividades presenciais dos Grupos de Oração


 

Considerando a nota emitida pelo nosso Administrador Apostólico da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, Dom Murilo Krieger, no dia 17 de março de 2020, em razão da expansão do Novo Coronavírus (COVID-19), o Conselho Arquidiocesano da Renovação Carismática Católica, reunido na mesma data, decidiu:

1. Estão suspensas as Reuniões de Oração, os Grupos de Perseverança e a aplicação do Módulo Querigmático (Seminário de Vida no Espírito Santo, Experiência de Oração e o Aprofundamento de Dons), bem como qualquer atividade que envolva aglomeração de pessoas;

2. Durante o período de suspensão das atividades, será realizado um Grupo de Oração Arquidiocesano online, aos sábados, 19 horas, com transmissão ao vivo pelas mídias sociais (YouTube, Instagram e Facebook) da RCC Salvador;

3. Nosso Administrador Apostólico convidou todos a orar por esta Pandemia, desta forma vamos juntos nesses quinze dias, rezar o Terço da Misericórdia, às 15 horas ou 21 horas, e o Terço Mariano às 18 horas, com essa intenção;

5. Incentivamos os núcleos dos Grupos de Oração a propor momentos de partilha da Palavra de Deus e orações, por meio virtual, aos membros do Grupo de Oração;

4. Caso haja prorrogação das orientações emitidas pela Arquidiocese, todas as decisões acima permanecem válidas.

A Prudência é um Dom do Espírito Santo, não nos esqueçamos disso. Nesse momento difícil, cremos que essas decisões são conduzidas pelo Espírito Santo, sobretudo, porque são orientações vindas da própria Igreja, Mãe e Mestra.

Caminhemos na certeza que nosso Deus, Rei e Soberano, está a frente da batalha.

Conselho Arquidiocesano da RCC Salvador

Pedir a Deus a graça de ter sempre sede de justiça

"Que o Senhor nos dê esta graça, de ter esta sede de justiça, que é a vontade de encontrar, de ver Deus e de fazer o bem aos outros", disse o Papa ao realizar a Audiência Geral na Biblioteca do Palácio Apostólico.

Da Biblioteca do Palácio Apostólico, o Papa Francisco realizou a Audiência Geral nesta quarta-feira (11/03). Sem fiéis, sem peregrinos, sem abraços e afagos nas crianças e com os telões na Praça São Pedro desligados, já que a mesma está fechada.

Transmitida ao vivo pelo portal do Vatican News e pelas redes sociais, a Audiência se realizou como de costume: com os locutores em várias línguas lendo o salmo inicial e o resumo da catequese ao final.

As injustiças ferem a humanidade

O Pontífice deu continuidade ao ciclo sobre as bem-aventuranças e hoje meditou sobre a quarta delas: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados”

Fome e sede são necessidades primárias, dizem respeito à sobrevivência. Mas fome e sede de justiça falam de outra exigência vital e não se trata de vingança.

“Certamente, as injustiças ferem a humanidade; a sociedade humana tem urgência de equidade, de verdade e de justiça social; recordam que o mal sofrido pelas mulheres e pelos homens do mundo chega até o coração do Pai. Qual pai não sofreria pela dor dos seus filhos?”

Mas a fome e a sede de justiça de que fala o Senhor, prosseguiu o Papa, é ainda mais profunda do que a legítima necessidade de justiça humana que todo homem carrega em seu coração.

No próprio “sermão da montanha”, Jesus fala de uma justiça maior do que o direito humano, dizendo: “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus” (Mt 5,20). É a justiça que vem de Deus (cfr 1 Cor 1,30).

Em todo coração, há sede de verdade

Nas Escrituras, há uma sede ainda mais profunda do que aquela física. Como diz o Salmo 63, a nossa alma tem sede de Deus, como terra deserta, árida, sem água. Santo Agostinho expressou o que significa esse desejo, quando afirmou que o nosso coração permanece inquieto até repousar em Deus.

“Em todo coração, até mesmo na pessoa mais corrupta e distante do bem, está escondido um anseio rumo à luz, mesmo se sob os escombros de enganos e erros, há sempre a sede de verdade e de bem, que é a sede de Deus. É o Espírito Santo que suscita esta sede.”

Por isso a Igreja é enviada a anunciar a todos a Palavra de Deus, porque o Evangelho de Jesus Cristo é a maior justiça que se possa oferecer ao coração da humanidade, que é uma sua necessidade vital, mesmo que não perceba.

Abrir mão do que é secundário

Cada pessoa é chamada a redescobrir o que conta realmente, daquilo que realmente necessita, o que faz viver bem e, ao mesmo tempo, o que é secundário e aquilo que, tranquilamente, podemos abrir mão.

Nesta bem-aventurança, Jesus anuncia que há uma sede que não será desiludida, porque corresponde ao coração próprio de Deus e à semente que o Espírito Santo semeou em nossos corações. Francisco concluiu:

"Que o Senhor nos dê esta graça, de ter esta sede de justiça, que é a vontade de encontrar, de ver Deus e de fazer o bem aos outros."

Fonte: Vatican News / Foto: Reprodução – Vatican News

Estudo e Leitura da Carta aos Romanos proposta pelo Ministério de Pregação


Amados irmãos pregadores e pregadoras do Brasil,

A Paz de Jesus! Viva a Palavra de Deus!

Iniciamos um novo tempo! Os próximos 50 anos da RCC no Brasil. É um recomeço profético e todo ele deve ser permeado de muita coragem e garra para que JESUS SEJA O SENHOR de toda a humanidade.

O Papa Francisco em sua homilia do dia 28 de janeiro de 2020 nos disse assim: “O Evangelho não irá em frente com evangelizadores enfadonhos, amargurados. Não. Somente irá em frente com evangelizadores alegres e cheios de vida.”.

Nós, os pregadores, temos uma grande responsabilidade nesse novo tempo, a de ANUNCIAR JESUS com toda força do nosso coração e para isso precisamos ler, amar e nos aprofundar em sua PALAVRA, para que, ao ser pregada, ela toque profundamente os corações e gere vida em abundância. Ela precisa ser pregada para que JESUS SEJA O SENHOR DE TODOS! Precisamos ler mais a BÍBLIA! Precisamos mergulhar em cada palavra nela contida e deixar que ela nos AMOLDE a Cristo, nosso Senhor! Sabemos que, além das Sagradas Escrituras, nossa fé também se fundamenta na Sagrada Tradição e no Sagrado Magistério que nos guiam livrando-nos do erro.

São Gregório Magno nos ensina: “A Bíblia é um espelho que reflete nossa mente. Nela vemos nossa face interior. Das escrituras aprendemos nossas belezas e deformidades espirituais. E ali também descobrimos o progresso que estamos fazendo, e quão longe estamos da perfeição.”.

Somos chamados nesse tempo (e sempre o fomos) para dar À PALAVRA DE DEUS o lugar que lhe é devido em nossas vidas.

Diante disto, encaminho esta Proposta de LEITURA e REFLEXÃO sobre a CARTA AOS ROMANOS, carta de onde foi extraída a Palavra do ano de 2020 para a RCCBRASIL-Rm 12,2.

Agradeço de todo meu coração, ao Frei Mauro Aristides Strabeli, que é o autor deste estudo (que nesta proposta está adaptada e em parte), pela gentileza em nos autorizar seu uso.

Esta é a primeira de uma série de propostas que faremos ao longo dos próximos anos.

Na certeza de ver todos os pregadores do Brasil se alimentando desta PALAVRA, envio um abraço fraterno.

Leandro Rabello
Coordenador Nacional do Ministério de Pregação RCCBRASIL 
alt




Confira os direcionamentos do Ministério de Intercessão

"... trabalhamos a noite inteira e nada apanhamos; mas por causa de tua palavra, lançarei a rede." (Lucas 5,5)

O episódio da pesca milagrosa, encontrada no Evangelho de Lucas 5, 1-11 narra um importante ensinamento quando Jesus depara com Pedro e seus companheiros, lavando as redes na praia, dando como encerrada as frustradas tentativas de pesca,  pois haviam trabalhado a noite inteira mas não conseguiram pescar nenhum peixe se quer.

Jesus entra na barca de Pedro e diz: “lançai as vossas redes para pescar” (Lucas 5, 4b). Pedro, mesmo tomado pelo desânimo e fadigado pelo trabalho diz: “Mestre, trabalhamos a noite inteira e nada apanhamos; mas por causa de tua palavra, lançarei a rede.” (Lucas 5, 5). A obediência à palavra de Deus, fez com que acontecesse o milagre da pesca.

 Jesus é o nosso bom Mestre que nos orienta, direciona e ilumina com o Seu Espírito, a fim de não perecermos, mas que tenhamos vida plena. Entretanto, é necessário estarmos atentos ao que o Senhor nos diz, pois a obediência produz frutos, gera maturidade e fortalece a fé.

O Ministério de Intercessão da RCC do Brasil é impelido pela Palavra de Deus a prosseguir lançando as redes para que muitas almas sejam resgatadas para Jesus, por isso os intercessores são chamados a permanecer lançando as redes, não de qualquer forma ou do jeito mais cômodo, mas atentos ao que o Senhor tem nos direcionado.

Dessa forma, o intercessor precisa estar empenhado em conhecer e viver os direcionamentos do Ministério de Intercessão que são instruções que servem para orientar e fortalecer a missão dos intercessores, ajudando-nos a termos consciência da necessidade da oração constante e fervorosa pela nossa Igreja, pela RCC, pelos Grupos de Oração e pelas diversas situações que tem acontecido no mundo.

O Ministério de Intercessão possui três pilares de sustentação que direcionam o exercício ministerial dos intercessores, que são:a espiritualidade, o pastoreio e a formação. É o próprio Jesus que nos direciona e nos anima a avançar, a sairmos da margem para chegarmos à profundidade da intercessão e da escuta profética. A obediência às coisas pequenas e simples nos torna fiéis ao projeto de Deus, promove a unidade e nos reveste da proteção do Altíssimo para cumprir a nossa missão no Ministério de Intercessão.

Portanto, é imprescindível que o intercessor progrida na espiritualidade, pastoreio e formação, estes são elementos essenciais para se alcançar o nível profético no ministério. Com obediência e coragem possamos dizer: por causa da tua palavra, lançaremos as redes!

Portal: RCC Brasil

“Na igreja não haveria contágio e não deveriam fechá-las”: isso é tentar a Deus


Ser pai é a grande alegria da minha vida, o que é engraçado, porque eu quase não tenho ideia do que é ser um bom pai. Eu não tenho treinamento, nem técnicas, nem métodos. Essencialmente, eu sou um homem subqualificado insistindo em meu esforço. Quão bravo devo ser? As crianças devem ajudar em pequenos trabalhos? Mas como? Eu não faço ideia! As crianças são únicas, e as minhas são tão diferentes que interajo com cada uma delas de maneira específica.

A paternidade não pode ser preparada, é algo que um homem se torna em uma prova de fogo. Isso o transforma de dentro para fora. Os pais simplesmente são quem somos, para melhor ou para pior. Muitas vezes os homens estão convencidos de que, para ser um bom pai, você deve ganhar muito dinheiro, comprar os melhores brinquedos e férias, inscrever seus filhos nos melhores cursos e escolas, e apresentar uma imagem perfeita da responsabilidade e invulnerabilidade dos adultos. As crianças não precisam de tudo isso – elas simplesmente precisam do pai e da mãe. Todas as manhãs, tudo que minha filha requer de mim antes de eu ir trabalhar é um beijo e um abraço.

Recordemos um dos grandes pais de todos os tempos: São José. José não é um pai famoso porque foi pioneiro de uma nova técnica revolucionária de criação de filhos e, embora seu filho tenha acabado sendo bem-sucedido à sua própria maneira, por algum tempo ele pareceu um completo fracasso. Como pai, José esteve tão quieto que desapareceu ao fundo enquanto sua esposa Maria continuava proeminente. Escondido como ele é, José apresenta um estilo de paternidade altamente eficaz. Podemos chamá-la de “paternidade de acompanhamento”.

O acompanhamento é o ato de conhecer bem a pessoa e seguir ao seu lado. Podemos acompanhar as pessoas como amigos, como colegas de trabalho, grupos de apoio e, como São José, modelo para nós, como pais.

José caminha com seu filho como pastor, conduzindo corajosamente sua família em uma jornada perigosa. É ele quem faz a escolha de migrar para o Egito por segurança. Mais tarde, porém, quando seu filho amadurece rumo à idade adulta, José dá um passo atrás e favorece que ele encontre seu próprio caminho. Como pais, nós lideramos nossas famílias, mas também devemos estar prontos para que os filhos se tornem líderes de suas vidas por direito próprio.

José também acompanha seu filho como protetor. Ele primeiro protege sua esposa durante a gravidez, mostrando que ele já é pai antes mesmo de seu filho nascer. Um pai é uma fonte de força e segurança para seus filhos – assim como para a mãe – fornecendo-lhes confiança para enfrentar o mundo de cabeça erguida.

Alguém que acompanha deve ser um bom ouvinte. José costuma ouvir. Ele ouve Maria enquanto ela explica sua gravidez e, depois, ouve como seu filho explica o porquê de desaparecer da família por três dias. José raramente é descrito falando, mas um pai nem sempre precisa estar dando instruções o tempo todo: um bom pai ouve seus filhos com interesse.

Esta é a maneira mais importante que José acompanha seu filho: ele está sempre lá. Embora seja um homem quieto, ele está sempre por perto. Em nossas vidas como pais, podemos não ser capazes de consertar tudo para nossos próprios filhos, mas podemos sempre estar lá e nunca abandoná-los.

São José me inspira a ser um pai melhor. Na minha própria vida, o acompanhamento significa que eu vou torcer pelo meu filho quando ele cair no futebol e vou comprar sorvete quando a equipe dele sofre uma grande derrota. Vou levar minhas filhas até o café e deixá-las falar sobre o que quiserem, sem dar conselhos demais. Sempre que meu filhos olharem para trás em suas vidas, espero que eles possam ver que eu me esforcei para estar ao lado deles.

As crianças estão procurando seu lugar na vida, um processo que é altamente exigente. Elas estarão ansiosas. Elas vão se irritar. Elas ficarão confusas e reagirão exageradamente. Vão passar por fases de estarem constrangidas comigo ou envergonhadas de si mesmas.

O mundo é um lugar vasto, cheio de tempestades e provações. O lugar calmo e tranquilo no meio daquela confusão maravilhosa que chamamos de crescer é um pai. Um pai é um lugar sólido para estar quando tudo o mais é caótico. Mas para um pai ser aquele lugar de segurança, ele deve estar lá, acompanhando seus filhos através de tudo, nunca os afastando porque está desapontado, nunca tentando fazer deles algo que eles não são, mas também tendo certeza de que eles sabem que ele se importa, e que ele lhes dará conselhos quando eles estiverem prontos para ouvi-lo.

O acompanhamento é difícil, no entanto. Porque ao mesmo tempo em que nós gentilmente guiarmos nossos filhos e apoiarmos seu desenvolvimentos, nós nunca conseguiremos nos encarregar de seus pensamentos mais íntimos; esses são só deles. Mas mesmo aqui, São José pode ser nosso exemplo, se andarmos junto de nossos filhos e confiarmos neles: eles serão ótimos.

Portal: Aleteia

Em tempos de coronavírus, devo ou não seguir o preceito de ir à Missa aos domingos?


O risco de pegar ou transmitir o coronavírus deixou uma dúvida cruel na cabeça dos católicos: ficar em casa ou ir à Missa (nos locais onde as celebrações públicas estão acontecendo normalmente).
Na Itália, um dos países onde a pandemia está mais grave, muitas Missas públicas estão proibidas e algumas igrejas fechadas. Tudo para evitar o contágio pelo COVID-19.

Porém, na maior parte dos países, as medidas não são tão extremas: as igrejas continuam abertas. Entretanto, os fiéis estão dispensados do preceito do domingo; cada um decide se vai ou não à Missa.

Muitos padres e comunidades do mundo todo estão transmitindo as celebrações ao vivo pela internet. Os fiéis podem assistir de casa, por streaming.

O fato é que cada um é chamado a discernir concretamente o que deve ser feito, seguindo as indicações de sua consciência e das autoridades – do governo ou da Igreja -, através das quais Deus costuma falar.

Então, ir ou não à Missa depende, em grande medida, da situação da própria localidade, das recomendações das autoridades, do tamanho do templo e da quantidade de pessoas que assistem à celebração.

Vale dizer que, em termos gerais, o preceito (obrigação) de assistir à Missa aos domingos existe em situações normais. Porém, neste momento está claro que o mundo não vive uma situação ordinária.
A decisão deve ser guiada também pelo amor. Se você acredita que pode ser foco do contágio ou não está seguro de seu estado de saúde, o correto é permanecer em casa.

Por outro lado, se decidir conscientemente participar das celebrações, você deve levar em conta que é preciso seguir normas básicas de higiene (como lavar bem as mãos). Na hora da Paz, não cumprimente os fiéis de maneira alguma e tome todas as medidas de prevenção na hora de receber a comunhão.

SEM PÂNICO: BOM SENSO E CUIDADOS FUNDAMENTAIS A TOMAR

1 – Saiba que a pandemia Covid-19 tem apresentado uma proporção relativamente baixa de mortos: alguma coisa entre 0,5% e 3,5% do total de infectados. Esta é uma boa notícia, e há outras notícias igualmente boas: a grande maioria dos casos (mais de 80%) tem gravidade reduzida; o risco para crianças tem sido mínimo; e o pico do surto já passou na China, onde os novos casos estão em declínio.

2 – Porém, há motivos suficientemente sérios e comprovados para mantermos firmes cuidados numa tarefa crucial: a de conter a expansão do vírus. Motivo: a Covid-19 pode ser leve para a grande maioria das pessoas, mas acarreta riscos bastante relevantes para grupos específicos, como idosos, diabéticos e doentes do coração. E são estas pessoas as que mais precisam de cuidados para evitar que sofram o contágio.

3 – Este é o maior problema vivido na Itália: sendo um país com grande número de idosos, além do fato de que a taxa de letalidade tende a subir, o próprio sistema de saúde fica sobrecarregado na tentativa de atender muita gente ao mesmo tempo, chegando-se ao cenário da falta de leitos e de equipamentos críticos, como respiradores artificiais. Havendo pico de acessos aos hospitais e postos de saúde, com milhares de pessoas precisando ser atendidas ao mesmo tempo, aqueles que têm mais necessidade podem não conseguir ser atendidos adequadamente – ou simplesmente nem sequer ser atendidos.

4 – A diretriz, portanto, é impedir ao máximo um grande pico de contágios, e a forma mais prática e simples de ajudar a impedir esse pico é esta: evite tudo aquilo que facilite a proliferação do vírus:

Lave bem as mãos, com alta frequência, sobretudo após tocar em superfícies nas quais muita gente também tocou, como balcões de atendimento, caixas eletrônicos, assentos e apoios do transporte público, etc.

Evite levar as mãos à boca, nariz e olhos;

Evite aglomerações, reduzindo as saídas de casa ao indispensável;

Se precisar estar em meio a grupos grandes de pessoas, procure manter uma distância de ao menos 1 metro e fique apenas durante o menor tempo possível;

Evite cumprimentos como apertos de mão, abraços e beijos;

Recorra a postos de saúde e hospitais somente em casos de objetiva e real necessidade, para não sobrecarregar inutilmente o sistema e até para evitar um risco ainda maior de contágio, dado que são ambientes em que se fica mais exposto a micro-organismos;

Mantenha uma rotina de alimentação saudável, exercício físico adequado às suas condições, boa ventilação e luz natural em casa ou no local de trabalho;

Não divulgue fake news: compartilhe informação objetiva, o que inclui algumas notícias tristes, mas também várias notícias boas e tranquilizadoras;

Mantenha a serenidade, sem se deixar levar pelos promotores de histeria;

Mantenha a fé, pedindo sempre forças a Deus para que todos façamos bem a nossa parte e Ele nos conceda a graça de enfrentar e vencer esta pandemia com inteligência, disciplina e solidariedade, em especial com os mais vulneráveis;

Obedeça responsavelmente às diretrizes das autoridades em caso de medidas excepcionais de controle.

Portal: Aleteia

RCC Salvador Orienta Grupos de Oração para o cuidado com o novo coronavírus


Queridos irmãos, membros da RCC Salvador,

"Não vos inquieteis com nada; mas apresentai a Deus todas as vossas necessidades pela oração e pela súplica, em ação de graças" (Fl 4, 6).

Diante do quadro de expansão do Coronavírus, muitos irmãos têm ficado angustiados e com dúvidas quanto a condução e manutenção das reuniões de oração em nossos grupos da RCC Salvador. Nesse momento (14/03/2020) não existe orientação para a suspensão das atividades dos grupos em nossa Arquidiocese.

Contudo, orientamos que os pregadores e ministros de música, evitem dinâmicas solicitando que os irmãos se abracem ou dêem as mãos durante a reunião de oração, conforme a própria orientação da Igreja, através do nosso Arcebispo, quando se referia as Missas.

Recomendo que os núcleos dos Grupos de Oração orientem os membros quanto as práticas de higienização das mãos e, na medida do possível, deixem disponível nos ambientes onde acontece o Grupo de Oração, sabão líquido e álcool gel, para facilitar o processo de higienização dos membros e participantes da reunião de oração.

Além disso, qualquer dúvida, fora do que foi orientado nesse texto, procure seu pároco e siga em obediência as determinações da Igreja.

Todas essas práticas devem convergir para que mantenhamos o espírito missionário nesse tempo difícil, e para que o mundo seja Batizado no Espírito Santo.

São Francisco Xavier, rogai por nós!

Conselho Arquidiocesano da RCC Salvador